quarta-feira, 7 de outubro de 2015

A parábola do Bom Samaritano

Lucas 10 v. 30-35
Parábola era uma forma muito comum em que Jesus ensinava a seus discípulos e aqueles que o seguiam, Ele usava para que todos compreendesse a palavra.
Jesus conta essa parábola para nos demonstrar o amor, a quem devemos amar e de que forma devemos amar.
Havia dois caminhos para se chegar a Jericó, um era mais longo e mais seguro, outro mais curto e perigoso. Alguns estudiosos chegaram a dizer que era intitulado como “Caminho Sangrento” pelo grande número de crimes ali cometidos, um lugar cheio de malfeitores.
Certo homem decidiu descer a Jericó pelo caminho mais curto, sem imaginar o que poderia acontecer com sua vida, da crueldade dos salteadores que por ali estavam à palavra diz que bateram naquele homem, tiraram as suas roupas, espancaram e deixaram quase morto.
Mas por aquela mesma estrada apareceu duas figuras importantes para aquela época, o Sacerdote e o Levita.  Ambos tinham a função através de seu ministério de estender as mãos aos necessitados.
Mas o que eles fizeram?
Fugiu de suas responsabilidades, por medo, covardia... talvez!
Mas logo após nesse mesmo caminho apareceu o personagem mais importante desta parábola, o Samaritano, a palavra diz que ele estava de viagem, estava passando por aquele caminho, mas vendo aquela cena, o homem caído, ensanguentado, sujo, ferido aparentando estar morto.
O Samaritano foi ao seu encontro, teve compaixão, limpou suas feridas, derramou azeite e vinho em suas feridas, cuidou dele e o levou para a estalagem e deixou aos cuidados do hospedeiro.
Podemos ver esse Bom Samaritano como Jesus em nossas vidas, Ele nos vê caídos, perdidos, tristes, doentes, fracassados e se move de intima compaixão, nos abraça, limpa nossas feridas da alma, do corpo, do coração, e coloca o azeite, derrama o balsamo que alivia que refrigera e que tira toda a dor.
Ele derrama sobre nos o azeite e o vinho, que é o símbolo do Espirito Santo, o sangue purificador de Jesus.
Jesus usa sua própria condução, seu meio de transporte, que são seus braços poderosos que nos protegem nos dá abrigo seguro, Ele nos deixa na estalagem, Ele não nos abandona, Ele deixou pago com seu próprio sangue na cruz do Calvário.
Hoje a estalagem são nossas igrejas, onde somos cuidados por almas preciosas que são nossos pastores que zelam que orientam que intercedem por nós.
É hora de meditarmos, temos dado o devido valor ao Bom Samaritano, temos sido gratos?
 Temos permanecido em nossos lugares, ou estamos tentando dar uma volta em Jericó?
Estamos atentos a tudo aquilo que Jesus tem feito por nós, nos guardando, nos restaurando.
Temos praticado esse ensinamento de Jesus?
No final desta parábola Jesus diz: “Vá e faça o mesmo” temos que seguir os passos de Jesus.
Que o amor, a fé e a esperança estejam em nossos corações.

                                   Luciana Nardini

Nenhum comentário:

Postar um comentário